+ Mais postagens
cultura

Juntos pela Frente Parlamentar da Cultura

 

A convite da Associação dos Produtores de Teatro do Rio (APTR), participei de uma reunião na qual se discutiu sobre a implantação de uma nova Frente Parlamentar da Cultura. O objetivo é criar uma ponte de diálogo entre o segmento cultural, a sociedade e os poderes Legislativo e Executivo, visando à mobilização e o fortalecimento das políticas culturais no país.

O evento foi realizado no Dia Nacional da Cultura, comemorado no último dia 5, na Casa Quintal, na Lapa, no Rio de Janeiro, e contou com a presença de diversos artistas, produtores culturais, e de seis deputados federais que foram reeleitos: eu participei como deputado pelo DEM, Alessandro Molon (PSB), Chico d’Angelo (PDT), Jandira Feghali (PCdoB) e  Marcelo Freixo (PSOL). Também participou Marcelo Calero, eleito pelo PPS, ex-secretário de Cultura do município do Rio durante a gestão do ex-prefeito Eduardo Paes e ex-ministro da Cultura.

 

Foi uma reunião muito produtiva, que resultou em várias discussões sobre os rumos da Cultura e do que podemos fazer para evitar retrocessos na nossa política cultural. Acordamos no restabelecimento da Frente Parlamentar da Cultura, com a ida de uma comissão de produtores para Brasília em fevereiro do ano que vem, a fim de conseguir recolhimento de assinaturas de deputados para a formalização desta ferramenta legislativa, a mobilização e a adesão de políticos de todo o país para se tornar uma associação mista com proposta suprapartidária.

Todos os parlamentares presentes concordamos com a existência e preservação do Ministério da Cultura, e na manutenção e ampliação do orçamento dado ao MinC, assim como na preservação do Sistema S como forma de fomento à Cultura. Há décadas o Sesc e o Sesi trabalham na formação e na produção cultural. O setor cultural tem mostrado resultados invejáveis no desenvolvimento da economia, na geração de empregos na ampliação do acesso à informação, na inclusão das minorias, no espeito à diversidade.

O objetivo foi iniciar um movimento para estabelecer além da Frente Parlamentar da Cultura, que precisa da adesão de um terço dos membros do Legislativo, ou seja, 198 assinaturas para ser aprovada, a criação da bancada da Cultura como instrumentos de mobilização.

Quando estava à frente da Casa Civil na Prefeitura do Rio, aprovamos vários projetos e programas de fomento à Cultura pela cidade. Sou casado com uma atriz e sei a importância da Cultura na formação de cada cidadão, da sociedade e no desenvolvimento do país. Vamos em frente com mais essa luta também.