+ Mais notícias

Cinco anos do Programa Cegonha Carioca

Em comemoração ao Dia das Mães e aos cinco anos do Programa Cegonha Carioca, visitei com o prefeito Eduardo Paes, o Hospital da Mulher Mariska Ribeiro, em Bangu. O Mariska é referência no atendimento e cuidado às gestantes e às mulheres no Rio, e já atendeu mais de 700 mil pessoas da região desde 2012, quando foi criado.

A humanização que o sistema Cegonha Carioca proporciona dá mais segurança às mães.  O cuidado obstétrico das maternidades municipais segue um padrão que vai muito além do parto, já que o incentivo ao pré-natal ajuda todo o período de gestação. As futuras mamães são convidadas a conhecer o espaço em que elas terão o bebê antes do parto, ou seja, tudo é feito com muito carinho para que o nascimento seja o mais harmonioso possível.

E nada mais gratificante do que passar esse domingo especial para as mamães, visitando gestantes que estão sendo atendidas por esse projeto da Secretaria Municipal de Saúde, que é pioneiro no país, preconiza a humanização do atendimento incentivando o pré-natal, e desde 2011 quando foi criado, já beneficiou mais de 193 mil mulheres da cidade.

A partir do Cegonha Carioca, as futuras mães podem visitar com antecedência as maternidades de referência onde terão seus filhos e recebem um kit com roupas para os recém-nascidos. As gestantes contam com uma ambulância exclusiva para levá-las até a maternidade na hora do parto. O transporte é acionado por meio de uma central telefônica, que funciona 24 horas por dia, inclusive nos fins de semana e feriados, e conta com uma equipe de enfermeiros-obstetras para orientar as pacientes. E também contam com espaços para relaxamento durante o pré-parto e podem permanecer com um acompanhante de sua escolha para o momento mais importante: a hora do parto. Após o nascimento, as fotos dos recém-nascidos nas maternidades municipais podem ser acessadas no site da Prefeitura. Informações como peso, altura, data e horário do nascimento também estão disponíveis no site.

Os números são de impressionar: são 380 partos por mês, 700 consultas ambulatoriais e 2 mil atendimentos de emergência.  Em 2015, 74% das gestantes realizaram sete ou mais consultas de pré-natal. Em 2010, antes da criação do programa, apenas 65% das futuras mães passavam pelo número ideal de consultas. Ano passado foram realizadas 473.624 consultas de pré-natal, mais do que o dobro do que em 2008, quando foram 205.145 consultas. No total são 12 ambulâncias que prestam o serviço com exclusividade e já transportaram mais de 58 mil parturientes. Os números refletem o cuidado da Prefeitura do Rio com as gestantes e seus bebês.

Durante a visita, encontrei com a Suame, que teve todo o apoio necessário e continua tendo nesse momento tão importante. Lembrei quando a Manu, minha filha mais velha, que nasceu prematura e também permaneceu na UTI quase 40 dias para ganhar peso. O Cegonha é mais uma demonstração que a saúde é prioridade absoluta e que é possível oferecer um serviço público de qualidade.