+ Mais notícias

História recontada

Este domingo foi dia de voltar às margens da baía para a inauguração de mais um trecho da Orla da Guanabara Prefeito Luiz Paulo Conde. O terceiro, com 77 mil m² de história recontada. Ali nas praças XV, Marechal Âncora e no Largo da Misericórdia, onde tantos fatos marcantes da fundação da nossa cidade aconteceram e estão até hoje registrados no seu histórico conjunto arquitetônico.

Mas a cidade tem que ser mais que histórica, mais que cenário. Ela deve ser convidativa, democrática, acessível e integrada. A historia precisa conviver com novos hábitos e costumes, formando novos públicos. A Orla Conde, que em breve terá 3,5 quilômetros, é uma das obras mais interessantes da cidade justamente porque traduz esta nova cidade.

Agora pedestres e ciclistas passam a ter um novo ângulo de prédios e monumentos históricos. Desde a remoção da Perimetral, edifícios como o Paço Imperial, Palácio Tiradentes, Museu Naval, as igrejas de São José, Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé e da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Monte Carmo ganharam visibilidade.

Outra mudança bem emblemática foi a recuperação historia do Largo da Misericórdia – a primeira via pública do Rio de Janeiro – e da Praça Marechal Âncora. A área, há anos utilizada como estacionamento, foi devolvida à população como espaço de convivência de frente para a Baía de Guanabara. Com as obras, a prefeitura plantou 150 árvores em 29canteiros, garantindo no coração do Centro 12.300 m² de cobertura verde. Para os adeptos da contemplação da paisagem, 360m² em deques de madeira cumari e 50.000 m² de granito compõem o novo ambiente de frente para o mar e perto do Aterro.