+ Mais notícias

Lá vem o sol

A derrubada do Elevado da Perimetral é uma das grandes marcas do governo Eduardo Paes. Tem o peso do simbolismo e causou por muito tempo um misto de simpatia e hesitação do carioca – habituado àquele mostrengo que prometia facilitar o trânsito no Centro, mas só garantia feiura e ofuscação da margem da Baía de Guanabara.

A prefeitura conseguiu convencer o carioca de que as soluções viárias para o fim do elevado são mais do que satisfatórias, mas a verdadeira prova de fogo da arrojada decisão do prefeito Eduardo Paes veio com a Praça Mauá e seu entorno.  Ali o carioca compreendeu a importância de descortinar o horizonte daquele pedaço tão cheio de historia da nossa cidade.

Neste sábado de sol, nossa primeira tarefa foi apresentar ao Rio o novo trecho da Orla Prefeito Luiz Paulo Conde, entre os armazéns 1 e 6 na Rodrigues Alves  – agora banhada pelo sol que a Perimetral bloqueava. A área de 57 mil m², por décadas degradada, surgiu quase irreconhecível, transformada em um espaço de convivência, lazer, esporte e cultura. Logo na estreia o local já mostrava todo o seu potencial com apresentação de banda, grupo de passinho, barraquinhas de  comida de rua convivendo harmonicamente com grupos que se exercitavam, famílias passeando e o VLT que aguarda ali o momento de entrar em operação.

Ao todo, a Orla Conde terá 3,5 Km de extensão, ligando o Armazém 8 ao Museu Histórico Nacional com vista e verde. Só neste trecho da Rodrigues Alves, que antes contada com 59 árvores, ganhou uma cobertura verde de 460 árvores em 51 canteiros. É o Rio reafirmando sua vocação para o lazer ao ar livre.