+ Mais notícias

Novas enfermarias nos hospitais municipalizados

Foi com enorme satisfação que pude acompanhar a entrega das primeiras enfermarias reformadas e climatizadas nos hospitais municipais Albert Schweitzer e Rocha Faria, em Realengo e Campo Grande. Desde janeiro, quando as duas unidades foram municipalizadas, a prefeitura sempre reforçou a importância de melhorar o acolhimento de pacientes e familiares. Até maio, nós teremos todas as enfermarias no Albert e no Rocha, para adultos e crianças, em condições plenas de atendimento, e isso inclui ar condicionado. Esse investimento que está sendo feito nestes dois hospitais oferecerá à população da Zona Oeste mais de 100 enfermarias completamente reformadas no Albert e cerca de 40 no Rocha.

No Albert, nosso plano de ações prevê, em reformas e climatização das enfermarias, investimentos de R$ 5 milhões. Também serão aplicados R$ 5,580 milhões na reforma da Emergência e R$ 9 milhões em novos equipamentos e mobiliário, incluindo um novo tomógrafo, nova central de esterilização, duas camas pré e pós-parto, 200 poltronas de acompanhantes, 200 kits de enfermaria (cama, armário e mesa), cinco mesas cirúrgicas e cinco focos cirúrgicos. Outros R$ 3,9 milhões serão usados na demolição e retirada do entulho do prédio do antigo Hospital Olivério Kraemer, ao lado do Albert Schweitzer. Ao todo, os investimentos na unidade somarão R$ 23,480 milhões.

No Rocha Faria, serão investidos R$ 1,850 milhão para reforma e climatização das enfermarias. O plano de ações para a unidade prevê ainda investimentos totais de R$ 15,160 milhões, sendo R$ 7,310 milhões para a reforma da Emergência e R$ 6 milhões para a aquisição de equipamentos e mobiliários, entre eles novo tomógrafo, três autoclaves, uma lavadora ultrassônica, oito camas pré e pós-parto, cem poltronas e cem kits de enfermaria.

Desde que a prefeitura assumiu as unidades, várias ações de curto prazo já foram realizadas, melhorando o fluxo de entrada dos pacientes e acompanhantes, especialmente na Emergência. No Rocha Faria, por exemplo, o tomógrafo, que estava com defeito havia três meses, foi consertado e voltou a funcionar. No Albert Schweitzer foi criado o Espaço Família, para acolhimento dos parentes de pacientes internados; e inaugurado um novo refeitório para atender funcionários e acompanhantes, com capacidade ampliada para servir 600 pessoas por refeição (café da manhã, almoço, lanche e jantar).

Com os dois hospitais inseridos na rede municipal, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) passou a oferecer 4.173 leitos – a maior rede de leitos hospitalares do país – e a ser responsável por quase 100% dos nascimentos em maternidades públicas da cidade (são cerca de 50 mil partos realizados por ano na rede de atenção do município). O investimento da Prefeitura do Rio em saúde passou de 21% de seu orçamento anual para 25%, acima do que determina a legislação. Somente neste ano o gasto previsto para o setor é de mais de R$ 5 bilhões.