+ Mais notícias

Olha o VLT aí!

Difícil descrever a sensação de participar do teste do VLT, que percorreu o trajeto Rodoviária Cinelândia, na manhã deste domingo. O Veículo Leve sobre Trilhos é um daqueles projetos que surgiram há alguns anos e começamos a planejar junto com vários outros projetos do Porto Maravilha. No início, quando mostramos a proposta, muita gente duvidou que iria tornar-se realidade. Por isso, quando o vagão saiu pela rodoviária, pegando a Binário, passando pela Praça Mauá, ultrapassando a Presidente Vargas e seguindo pela Avenida Rio Branco até chegar a Praça XV, foi uma mistura de orgulho e muita emoção.

O VLT é fruto do compromisso com a mobilidade que estamos cumprindo. E esse foi o primeiro, de muitos testes que ainda vão ocorrer até abril, quando a primeira fase começa a entrar em operação. A primeira etapa, ligará a Rodoviária Novo Rio ao Aeroporto Santos Dumont, com 18 paradas. No segundo semestre, entrará a segunda etapa, Central-Barcas, passando pela Praça XV.

Ao todo, o sistema terá 29 paradas abertas e três estações fechadas (Rodoviária, Central e Barcas). Modal integrador, o VLT conectará trens, metrô, barcas, teleférico, BRTs, ônibus convencionais, rodoviária, terminal de cruzeiros marítimos e aeroporto em malha que vai funcionar todos os dias da semana, 24 horas por dia, com intervalos que variam de três a 15 minutos (de acordo com a linha, demanda e horário). Com capacidade de transporte de 420 passageiros por composição, o sistema chegará a 300 mil passageiros por dia quando entrar em plena operação.

E uma das coisas boas é que é uma alternativa limpa de transporte, porque utiliza um sistema próprio de transmissão de energia pelo solo, contribuindo para a redução da emissão de poluentes. O sistema também será pioneiro na forma de pagamento, sem catracas ou cobradores. No VLT, o próprio passageiro vai validar o bilhete nas máquinas situadas no interior do trem. O sistema utilizará Bilhete Único e bilhetes unitários adquiridos nos terminais de autoatendimento (ATM) instalados nas paradas e postos de venda do RioCard. Quem usa o Bilhete Único Carioca, a segunda viagem será gratuita como já acontece nos outros modais de transporte. A terceira, complementar, terá o valor de R$2,10. O cidadão que já tiver feito duas viagens pelo Bilhete Único e desejar utilizar o VLT como complemento não pagará uma nova tarifa, mas será cobrado esse valor parcial. Para os usuários do Bilhete Único intermunicipal será respeitado o valor tarifado do Estado. O passageiro que não validar a passagem estará sujeito à multa conforme regulamentação que ainda está em fase de elaboração pelo município.

Se o primeiro teste já deu uma emoção e despertou a curiosidade de quem passava pelo Centro, imagina quando começar a operar… Não vejo a hora!