+ Mais notícias

Quatro meses de municipalização e obras a todo vapor

Desde que assumimos a gestão dos hospitais Albert Schweitzer, em Realengo, e Rocha Faria, em Campo Grande, é sempre uma surpresa e uma satisfação visitar as obras que estão sendo realizadas nesses dois locais. Estamos melhorando as condições dos dois hospitais. O Rocha Faria foi um hospital feito de puxadinhos ao longo dos anos. Estamos fazendo melhorias na estrutura de acolhimento, na parte de maternidade, e na parte de emergência, ou seja, criando uma infraestrutura que receba as pessoas e que possa dar um atendimento melhor. Na maternidade, estamos fazendo pintura e melhorias de infraestrutura, reforma e adequação de todas as enfermarias, reestruturação das salas de pré-parto, climatização, e construção de novos acessos exclusivos e de um setor de acolhimento. No setor de pediatria, além da pintura e reforma de infraestrutura, estamos criando sala de acolhimento e um espaço individualizado, e novos acessos para a urgência e pediatria, e ampliando a área pediátrica. Também estamos fazendo melhorias na emergência, que terá climatização, novos acessos para a clínica médica e ortopedia e acompanhantes, além de outras obras de infraestrutura.

São duas grandes unidades, a gente já tinha assumido o Pedro II há alguns anos e agora com o Albert e com o Rocha completamos toda a Zona Oeste.

No Albert Schweitzer, essa semana, inauguramos 18 novas enfermarias no sétimo andar, sendo uma de Cirurgia Geral e três de Cirurgia Pediátrica que foram reformadas, mais 19 leitos adultos e cinco leitos pediátricos.

Outras 12 enfermarias de Cirurgia Geral reformadas ao longo do mês de abril, com 34 leitos já em funcionamento com camas novas, poltronas e armários. Em março, entregamos duas enfermarias no setor de Cirurgia Geral, com quatro leitos adultos e dois leitos pediátricos. No total, foram 57 novos leitos adultos e sete pediátricos.

É óbvio que ainda tem muita coisa para ser feita, mas basta lembrarmos como estava antes e como está agora. Os investimentos estão sendo feitos, os processos melhoraram, você tem melhorias físicas, melhorias no atendimento, que está mais organizado. E é um desafio, sem dúvida. Mas não faltam recursos, não falta gestão, é um processo, mas já melhorou muito desde o ano passado.

Temos uma vida financeira organizada na prefeitura porque só fazemos o que podemos fazer. Não assumimos responsabilidades ou fazemos promessas que não podemos cumprir. Governar é estabelecer prioridades e a saúde da população é prioridade absoluta na nossa gestão.