+ Mais notícias

Uma cidade em construção

De uns tempos pra cá, diante da inegável transformação pela qual o Rio passa, começou a surgir entre críticos do governo municipal o discurso de que a ele só investe em obras. Tratar isso como um problema é curioso, já que este raciocínio tenta desvincular as obras de seus maiores beneficiários, que são os cariocas. Esta manhã voltei a pensar sobre o assunto durante encontro com representantes do sindicato da Construção Civil, presidido pelo atuante Carlos Antônio.

Esta tentativa de tornar as construções algo ‘frio’ é pura demagogia. Fazer obras é cuidar das pessoas, e de diferentes formas. Ao dar início a uma obra, você está gerando empregos em projetos que futuramente irão melhorar o trânsito, oferecer educação em tempo integral, proporcionar saúde – na forma de saneamento básico ou de atendimento médico –,  e levar dignidade a quem por anos teve que lidar com a lama na porta de casa. Entre muitos outros benefícios.

Enquanto a cidade tiver desafios a superar, ela deverá estar em obra. As construções empregam, mantém a economia da cidade aquecida, mudam pra melhor a vida das pessoas e são a face mais evidente de uma gestão planejada, de investimentos constantes mesmo em tempo de crise. Uma cidade que não para de entregar escolas e clinicas, que reforma hospitais e urbaniza comunidades, é uma cidade que iguala oportunidades.

A Prefeitura do Rio ja demonstrou a intenção preservar a geração de empregos na construção civil com o lançamento, no ano passado, de um pacote de obras pós-jogos chamado Em Frente Rio. E confirmou este objetivo no Planejamento Estratégico 2017-2020, lançado em março com a contribuição massiva da população da cidade.

No plano, além de muitas outras metas, há um conjunto de obras que manterão a cidade no caminho do desenvolvimento, com a modernização dos meios de transporte e melhoria da infraestrutura. Como dizer que expandir a Transbrasil até Santa Cruz, criando um grande anel viário na cidade, não é cuidar da população? Ou a criação do BRT TransSuburbana, ligando dois corredores expressos? Ou ainda a construção de centenas de Escolas do Amanhã e dezenas de Clinicas da Familia, que atenderão todos os cariocas que precisam destes serviços?

No planejamento para o Rio dos próximos anos há muita obra, sim. A previsão é de que sejam realizados 25 grandes projetos. Mas o que deve ser contabilizado por quem quer que a cidade continue avançando e criando oportunidades são os 112 mil empregos que eles vão gerar e as milhares de vidas que serão impactadas positivamente nesta cidade que não quer parar de se transformar para melhor.